teatro

Que as pedras choram

Jovens

Artistas

Unidos

Este foi o segundo projeto desenvolvido a partir da parceria entre a Promob e o Coletivo Comunitário Jovens Artistas Unidos.

Durante cerca de cinco meses a associação albergou este interessantíssimo movimento de criação artística, através do qual um grupo de jovens não profissionais da nossa comunidade se reúnem, pelo seu amor ao teatro, para juntos construírem um espectáculo. Foi precisamente isso que aconteceu, e a partir da dramaturgia de Ricardo Regalado, aqueles jovens conceberem um belíssimo espectáculo teatral, que nos deixou a todos vislumbrados.

O espetáculo foi apresentado no dia 11 de maio de 2018, no Quartel das Artes Dr. Alípio Sol. 

O espectáculo teve a produção da Promob, a quem coube a responsabilidade logística de produção bem como todo o investimento material e capital, necessário à mesma.  É para nós fundamental enquanto estrutura social associativa o fomento de mais e novas soluções artísticas e culturais, sendo por isso, à partida um esforço de alto valor acrescentado.

 

A importância do projeto  foi altamente reconhecida pelo público que prática esgotou o auditório do QA, estando ali cerca de 400 pessoas. 

A associação cumpre através de projetos como este o desígnio de uma comunidade mais conhecedora, mais capaz e mais livre. O investimento em atividades culturais tão dinâmicas como aquelas que são realizadas pelos Jovens Artistas Unidos, são prova de uma pensamento estrutural de educação pela arte e pela palavra que pretendemos propor à nossa sociedade. 

A assunção de novas competências por parte deste jovens, constitui para nós, um dado essencial, e é sem dúvida um objetivo que se pretende continuado, por nós e por eles.

Este coletivo é constituído por jovens não profissionais, que tendo entre eles diferente idades, percurso e objetivos, possuem em comum um admirável gosto pelas artes do palco. 

A possibilidade desta experiência é sem dúvida uma oportunidade de contacto e partilha, que no esforço de encontrar novas soluções performativas, permite descobrir e despertar uma imensa rede social e humana entre os intervenientes.

Esta Produção teve o apoio das seguintes instituições:

| Orfeão de Bustos

| Círculo de Cultura Musical da Bairrada

| Município de Oliveira do Bairro

A reportagem fotográfica é da autoria de 

Adriano Filipe Pereira