EXPO

SIÇÃO

FOTO

GRÁFI

CA

DE

TELMO

DOMINGUES

DE

BUSTOS

JANE

LAS

FEVEREIRO

2019

A exposição "Janelas de Bustos" resultou do desafio que a Junta da União de Freguesias lançou à PROMOB para integrar as comemorações do dia de Bustos, 18 de fevereiro, no ano de 2019.

A exposição esteve um pouco mais de um mês aberta ao público e nela se propuseram diferentes formas de olhar para algumas "banalidades" do dia-a-dia. Provavelmente, à volta dos "lugares comuns" a que todos parecem querer fugir, há mais vida que aquela que vemos quando estamos desatentos... Possivelmente, é o nosso olhar que pode e deve mudar e não os lugares comuns!

Após ter estado em exibição da Junta de Freguesia, foi também apresentada na sala de exposições da Câmara Municipal de Oliveira do Bairro, de 8 a 30 de junho de 2019.

Esta exposição trouxe ao contacto com as pessoas uma série de fotografias de várias janelas, de vários edificios daquele lugar. Para além do sentido imaginético, criativo e simbólico das várias possibilidades que as janelas nos estendem,  está a intenção de perpetuar o registo de um património cultural arquitetónico para o qual, através da exposião, chamamos a atenção. 

JUNTA FRG. BUSTOS

SALA

DE EXPOSIÇÕES DA

CMOB

SRA VEREADORA DA

CULTURA,

E O FOTÓGRAFO

As janelas...

As janelas iluminam o espaço interior... mas também iluminam a alma, tantas vezes enclausurada pelas nossas incertezas e preconceitos que nos entram porta adentro.

As paredes, essas, escondem o pior e o melhor que há em nós. Já as janelas... é por elas que, no nosso pior e melhor, vemos o que resta daquilo que os outros não nos querem mostrar, escondidos por trás das suas próprias paredes e portas. Escondem, mas sem sucesso, a riqueza e a pobreza, a soberba e a resignação. As janelas, altivas ou humildes, revelam-se exímias contadoras de estórias talvez por, através delas, terem entrado tantas vezes os ditos e desditos da história.

As janelas...

Por elas entrou o desejo ardente naquele piropo escorreito que teve apenas, por resposta, o discreto arredar da cortina e o mordiscar do lábio traiçoeiro, naquela tarde de domingo soalheira. Às vezes, as janelas ficam vaidosas, só por serem damas de companhia de senhoras portas engalanadas com relevos imponentes e fechaduras robustas. Noutras, modestas janelas de trabalho, apenas entraram as uvas - apenas isso - pois foram feitas para estar fechadas, resguardando a luz e o vento, como se disso dependesse a fragrância dos néctares da adega...

Pelas vidraças de tantas – demasiadas – entraram sonhos à procura de uma vida que teimou em não sair pela porta. Presos da dor e da solidão, muitos pintaram o seu pálido mundo, à janela, apenas com a luz das voltas do sol e da lua...

As janelas...

Para muitos não passarão de apontamentos funcionais de arquitetura, talvez, mas, aos olhos dos que querem ver – e “os olhos são as janelas da alma!” – elas são mais que uma pausa na escuridão claustrofóbica das paredes... são mais que uma simples entrada de luminosidade e de ar - elas são vislumbres de vida e de vidas! Quando essas vidas se esvaem...

...as janelas emparedam-se e morrem.
O autor,
Telmo Domingues

Esta Produção teve o apoio das seguintes instituições:

| J. Frg. Bustos, Troviscal e Mamarrosa.

ESTAS OBRAS

ESTÃO DISPONÍVEIS

PARA VENDA

92290843_505425766797602_542998278130211

TELMO

DOMINGUES

Telmo Domingues, mais conhecido como Professor Telmo, é uma figura incontornável da nossa comunidade. Conhecido por todos é também o seu gosto pela fotografia, e reconhecido o seu talento. O Telmo é um grande Amigo e colaborador da nossa associação, e é da sua responsabilidade a cobertura fotográfica de maior parte das nossas atividades.

Obrigado Telmo!